Marlene Dietrich canta "Lili Marlene"

Compartilhe. . .

Marlene Dietrich (1901 - 1992) foi uma das atrizes mais importantes da história do cinema. Também foi cantora de sucesso. Convidada por Hitler para protagonizar filmes pró-nazistas, recusou-se e se tornou cidadã americana, o que o "führer" tomou como um desrespeito para a pátria alemã, classificando Dietrich de traidora.

Esta é a história da canção Lili - Marlene
Cantada por Dietrich, esta é, sem dúvida, a canção mais popular da 2.ª Guerra Mundial. Era o hino não oficial de todos os soldados de Infantaria de ambos os lados do conflito. A poesia foi escrita em 1915 pelo soldado alemão Hans Leip (1893-1983), que lhe deu o título combinando o nome da sua namorada, Lili, com o apelido de uma jovem enfermeira com quem simpatizou. A poesia chamou a atenção de Norbert Schultze, que a musicou em 1938.

Após a ocupação alemã da Iugoslávia, o diretor de uma Rádio alemã sediada em Belgrado, o jovem tenente Karl-Heinz Reintgen começou a transmiti-la de novo, com grande agrado de Rommel. Tornou-se a canção oficial da estação, que a transmitia diariamente às 21:55, antes do fim da emissão. Lili Marlene era ouvida também pelos Aliados. Depressa se tornou a canção preferida dos soldados de ambos os lados.

Em 1944, apareceu uma versão inglesa, escrita por um certo J.J. Phillips, aborrecido por ouvir os ingleses cantarem em alemão. O Oitavo Exército Inglês adotou a canção.

Marlene Dietrich cantou “The Girl under the Lantern” em muitos espetáculos, na Rádio e “em três longos anos, na África do Norte, Sicília, Itália, no Alasca, Groelândia, Islândia e Inglaterra”, como ela gostava de dizer mais tarde. Diz-se que a canção foi traduzida em 48 línguas, incluindo o francês, o russo, o italiano e o hebreu.



A letra traduzida para o Português

Em frente ao quartel, diante do portão
Um poste com um velho lampião
Está ele ainda lá?
Queremos lá nos reencontrar
Queremos junto à sua luz ficar
Como outrora, Lili Marlene?

Nossas duas sombras pareciam uma só
E todos percebiam o amor que nós tínhamos
Toda a gente ficava a contemplar
Quando estávamos junto ao lampião
Outrora, Lili Marlene?

Gritou a sentinela para avisar
Tá na hora! um atraso, três dias vai te custar
Já vou, já vou companheiro!
E dissemos adeus, com que gosto eu iria
Com você, Lili Marlene?

O lampião reconhece teus passos
Teu belo caminhar
Ele ilumina tudo na noite
Mas há tempos se esqueceu de mim
E se algo me acontecer...,
Quem vai estar junto ao lampião,
Com você Lili Marlene?

Do alto céu; do fundo da terra,
Surge como em sonho teu rosto amado
Envolto na névoa da noite...
Será que voltarei para nosso lampião...
Como outrora, Lili Marlene?

Créditos:
Escrito a partir de um pps feito por maricarusocunha(arroba)terra.com.br / www.pranos.com.br

Compartilhe. . .

0 Palpites Grátis: